Assessores de comunicação debatem estratégias para o setor

Text_2

Cerca de 60 assessores de comunicação de 37 municípios debateram, na manhã e tarde desta quinta-feira (27), estratégias para o setor em um ciclo de palestras promovido pela Secretaria de Comunicação do Pará (Secom), durante o Fórum Permanente de Prefeitos e Prefeitas do Pará Sustentável, no Hangar Convenções e Feiras da Amazônia.

Para o secretário de Comunicação, Daniel Nardin, a união entre assessores de comunicação e Secom para a disseminação eficiente da informação é fundamental.

“Se estivermos unidos com o mesmo foco, que é o de informar bem a população em conjunto, todos alcançarão seu objetivo. A Secom precisa dos assessores de comunicação municipais para que possa desenvolver informação sobre todas as regiões de forma integrada”, reiterou.

Assessor de comunicação da prefeitura de Nova Timboteua, Leonardo Ladislau, comentou que o encontro foi importante para fortalecer o consenso de que a comunicação pública deve ser feita para o público, e não como promoção de uma personalidade política.

“Aqui nós concordamos que a comunicação pública deve ter o foco no cidadão, e não em interesses políticos individuais. Percebemos que as assessorias precisam trabalhar juntas, principalmente quando estão na mesma região”, ressaltou.

Ao final do encontro, o governador Simão Jatene falou com os assessores de comunicação. Ele destacou a importância de unir esforços para combater os dois maiores inimigos do Estado, que são a pobreza e a desigualdade social, e convocou os comunicadores a se engajarem no Programa Pará Sustentável, lançado durante o Fórum Permanente de Prefeitos e Prefeitas.

“Vocês têm papel fundamental nessa frente que estamos lançando em prol das populações dos municípios. O modelo de desenvolvimento lançado nos anos 1960 para a Amazônia não dá mais conta das demandas que foram surgindo e que impuseram um novo olhar sobre a região”, disse o governador.

Nessa visão, defendeu Jatene, é preciso ter claro o conceito de público, para que o cidadão seja efetivamente beneficiado pelas ações do Estado.

A gestão ambiental – na qual se inclui a questão dos aterros sanitários e da destinação dos resíduos sólidos das cidades, discutida em palestra do professor Mário Russo, durante o fórum – foi outro tema comentado pelo governador com os assessores. Ele lembrou que, desde 2011, o Pará avançou nas ações de desenvolvimento sustentável. No período, o número de Cadastros Ambientais Rurais (CARs) subiu de 20 mil para 173 mil. “Precisamos ter em mente que o desenvolvimento só vai se dar pelo conhecimento, pela produção e por novas formas de gestão e governança. E é com essa premissa que lançamos o Programa Pará Sustentável e estamos chamando os municípios”, concluiu o governador.