Secom firma parceria com Setur na Rota Turística Belém Bragança

Text_2

Desde o último mês de outubro, as Secretarias de Estado de Comunicação e Turismo – Secom e Setur – iniciaram uma parceria dentro do projeto da Rota Turística Belém-Bragança. Ministrando oficinas pelo Projeto Biizu nas 13 localidades que integram o projeto, a parceria criou um blog específico com esses resultados, alimentando pelos participantes das oficinas em cada localidade.

De acordo com Flávia Lima, gerente de qualificação da Setur, a necessidade das oficinas é para instrumentalizar os próprios moradores e agentes do turismo na região da Rota Belém-Bragança. Para ela, é importante que a realidade e a história de cada localidade sejam contadas por quem as vivencia no dia a dia, especialmente agora, quando o ativamento da Rota está atraindo novos investimentos para a região.

“O que movimentava a agricultura familiar, no século passado, era a ida e vinda do trem. Hoje, o turismo vai resgatar o desenvolvimento econômico desses locais”, acredita a gerente da Setur.

A Rota Turística Belém-Bragança compreende 13 municípios do nordeste paraense que ficavam no caminho da antiga Estrada de Ferro Bragança, desativada em 1965. O Projeto tem o objetivo de permitir uma maior visibilidade dos municípios turísticos da região, desenvolvendo a economia local.

Para contribuir com esse desenvolvimento, o Projeto Biizu está realizando Ciclo de Oficinas que compreendem quatro módulos: fotografia, produção de texto, audiovisual e mídias digitais. Cada oficina é complementar, com o intuito de que o agente participante consiga produzir materiais mais completos sobre sua região.

Érika Vilhena, coordenadora do Projeto Biizu, destaca que o papel das oficinas para os moradores da Rota Turística também é o de desenvolver a comunidação comunitária. “As oficinas visam fazer um resgate histórico do período em que o trem existiu e elas vão servir para que a própria população conte essa história, desenvolvendo dessa forma a comunicação popular e comunitária”, afirma.

Para o próximo ano, a parceria da Rota Turística Belém-Bragança pretende levar o mesmo ciclo de oficinas para outros 12 municípios do nordeste paraense: Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Izabel, Castanhal, São Francisco do Pará, Igarapé-Açu, Nova Timboteua, Peixe-Boi, Capanema, Tracuateua e Bragança.

“As pessoas vão começar a se apropriar da sua própria história e ao fazer isso, elas vão ter um espaço democrático onde poderão contar suas memórias, as de seus avós, bisavós, vizinhos. Isso vai trazer de volta quem realmente nós somos. Nós temos muita coisa para contar e não tínhamos esse canal. Então, esses ciclos de oficinas vão abarcar isso, vão tornar o Pará um lugar interessante para se conhecer.” avalia Flávia Lima.