Fórum de Secretários de Comunicação da Amazônia Legal é instituído em Rondônia

Text_2

Foi oficializado nesta quinta-feira (4), em Porto Velho (RO), durante a programação do 14º Fórum de Governadores da Amazônia Legal, o Fórum de Secretários de Comunicação da Amazônia Legal, que vem para romper barreiras históricas. A proposta de instituir um espaço para troca de informações, estratégias e debates sobre a comunicação institucional dos governos surgiu em janeiro deste ano, durante a 13ª edição do Fórum de Governadores da Amazônia Legal, realizada em Macapá.

O secretário de Estado de Comunicação do Pará e coordenador do fórum, Daniel Nardin, reforçou a necessidade de mudança do perfil da comunicação governamental. “Queremos mostrar através do fórum que a comunicação governamental não é apenas responsável pela divulgação das ações de governo e, sim, um instrumento importante de gestão, que deve atuar junto aos processos decisórios de políticas públicas de governo”, disse.

A diretora executiva da Superintendência de Comunicação de Rondônia, Edna Okabayashi, anfitriã do encontro, ressaltou a importância do fortalecimento da comunicação governamental na Amazônia Legal. ‘‘É um marco histórico que o Fórum de Secretários de Comunicação da Amazônia Legal tenha sido instituído em Rondônia, neste dia memorável. Para nós, da Comunicação Pública, é motivo de orgulho e celebração’’, destacou.

O secretário de Comunicação de Roraima explicou que o fórum é fundamental para o compartilhamento de experiências, bem como para a elaboração de soluções conjuntas e a promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal. “Mas queremos mudar esse olhar tradicional sobre a comunicação, de que ela se resume à divulgação de ações e ao gerenciamento de crises, para mostrar que ela também atua na concepção das políticas públicas”, disse.

‘‘O fórum vem para congregar os nove estados que compõem a Amazônia Legal. Quando trabalhamos de forma conjunta, passamos a ter uma visão macro e, assim alcançamos visibilidade em mídias não convencionais’’, avaliou a secretária de Comunicação do Tocantins, Kenia Borges.

Construção coletiva

Durante o encontro, representantes dos estados da Amazônia Legal finalizaram o estatuto de criação do fórum e iniciaram discussões sobre as próximas propostas a serem executadas. Diretrizes e metas serão construídas coletivamente. ‘‘Teremos ações mais efetivas e campanhas mais fortes para divulgar a marca Amazônia se trabalharmos coletivamente’’, disse o secretário de Comunicação do Pará.

O secretário de Comunicação do Amazonas e secretário-executivo do fórum, Amaral Augusto de Souza, ressaltou que o evento vem para promover mudanças. ‘‘Precisamos quebrar o estigma da Amazônia intocada, do grande maciço verde. Existem pessoas aqui e elas são o foco das políticas públicas. Os projetos de desenvolvimento da Amazônia podem, sim, ser executados de maneira sustentável’’, afirmou.

Para a assessora especial de Comunicação da Vice-Governadoria do Maranhão, Maria Cristina Ribeiro, o estado está engatinhando ainda nessas discussões integradas e que ganharam maior ênfase a partir do governo atual. ‘‘Percebemos que enquanto os estados caminhavam de maneira individual pouco se avançou, mas, a partir do momento que eles enxergam a questão ambiental, econômica e social de forma integrada, começam a caminhar melhor e mais rápido’’, avaliou.

Com experiência em construções coletivas, a assessora de imprensa do governo de Mato Grosso, Naiara Takahara, acredita que a participação do estado no fórum vem para somar esforços positivos no desenvolvimento da Amazônia Legal. “O Mato Grosso tem duas importantes experiências em construções coletivas: a Estratégia PCI, que consiste em desenvolver de forma integrada a tríade produzir-conservar-incluir envolvendo governo do Estado, iniciativa privada e sociedade civil; e o Consórcio Brasil Central, que trabalha para que o desenvolvimento da região Centro-Oeste aconteça de forma transversal. Agora queremos colaborar também na Amazônia Legal’’, afirmou.

Destino Amazônia

“A partir do momento que o fórum passa a unir os esforços de todos os secretários da Amazônia Legal, como já acontece com os governadores, também permite uma maior projeção para a Amazônia’’, avaliou a secretária de Comunicação do Acre e vice-coordenadora do fórum, Andréa Zílio.

Segundo ela, articulações para projetar a Amazônia Legal internacionalmente já estão sendo propostas. “A partir da criação do fórum nós pleiteamos junto ao Ministério do Turismo uma campanha nacional e internacional que desse maior projeção para a Amazônia. Essa sugestão foi acatada e será apresentada nesta sexta-feira (5) aos governadores, e isso já é fruto do fórum”, apontou a secretária de Comunicação do Acre.

“Temos visto uma campanha de mídia do governo federal promovendo o Nordeste, que já trabalha muito bem isso enquanto macrorregião porque eles têm governos mais unidos. Então nós vamos buscar uma campanha que não divulgue os estados amazônicos isoladamente, mas sim, a Amazônia como um todo”, explicou secretário de Comunicação do Pará.

(Fonte: Secom – Governo de Rondônia)

Por Governo do Estado do Pará