Alunos e professores do Benguí participam de ação sobre quadrinhos

Text_2

Ação no Benguí foi alusiva ao Dia Nacional do Quadrinho 

Por Paulo Garcia (Seac)

Com os olhos atentos a estudante do 1º ano, Nayara Leal, prestigiava a exibição do curta-metragem “Allegro Pero No Mucho” da triologia “A Turma da Pororoca”, do cineasta paraense Cássio Tavernard.

“Achei muita divertida a história e curioso, principalmente pela linguagem, os personagens falam como a gente, gostei muito”, disse Nayara.

A ação foi realizada na manhã desta quinta-feira (06), na Escola Estadual Maria Luiza, no bairro do Benguí, e faz parte da programação da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom), em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura (Secult), dentro do programa Territórios Pela Paz (TerPaz).

“É muito legal quando a gente tem material que possa ser trabalhado de forma lúdica e atrativa, principalmente quando se trata de jovens, eu acho que essa é a pegada dessa iniciativa, como artista, tenho uma satisfação profunda de estar em sala de aula, saber que uma obra tem potência como ferramenta educativa, espero que essa ação se multiplique”, disse Cássio Tavernard.

Outro momento foi o bate-papo com desenhista Otoniel Oliveira que apresentou o livro “Uma Breve História do Quadrinho Paraense”. Ele conversou sobre a produção de quadrinhos e a oportunidade de jovens a desenvolver novos olhares. “Quanto mais a gente aproximar esse tema dos alunos, que é uma nova geração, que vai pensar dentro da escola o que é arte, a cultura e o posicionamento político que isso representa, melhor vai ficar a sociedade, por isso, esse momento é essencial”, explicou Otoniel.

Para a diretora da escola, Eunice Martins, o evento serviu também para fomentar projetos na comunidade escolar. “Estamos na primeira semana de aula e a ação serviu também como um acolhimento para os alunos, muitos ficaram interessados em aprender mais sobre os quadrinhos, inclusive os professores que participaram, demonstraram interesse e vão incluir no planejamento escolar, como ferramenta pedagógica”, disse Eunice.

Um exemplo foi o professor de matemática, Franklin Deyvys, que participou do bate-papo e disse ter se inspirado para trazer novos elementos para a sala de aula. “Esses encontros trazem uma luz para a escola que já vem com o esforço de mudar seu plano de ação, eu vejo que é necessário instigar nossos alunos, não só com o conteúdo técnico da disciplina, mas o ajudar a criar uma identidade e a se colocar no mundo, e esta ação sobre quadrinhos, acaba promovendo o aluno a pensar no seu papel dentro da sociedade, seu papel quanto aluno, é fundamental no processo de ensino e aprendizagem”, comentou o professor.

Para o diretor da Comunicação Comunitária da Secom, Luiz Carlos, a ação serviu como termômetro para novas ações tanto no Benguí quanto para os outros territórios.

“Além de promover um debate que acaba sendo mais do que Quadrinhos, a gente começa a criar no público esse sentimento que é possível fazer alguma coisa no bairro. A Secom está com 17 linguagens de comunicação programadas para este ano em todos os territórios atendidos pelo TerPaz, então é só o começo de um trabalho”, explicou Luiz.

SOBRE AS OBRAS:

– “Uma Breve História do Quadrinho Paraense” foi lançada durante a Feira do Livro e das Multivozes de 2019, pela Secretaria de Estado de Cultura – Secult. Resultado de uma pesquisa iniciada em 2015 por Vince Souza, o livro foi exibido em formato PDF num telão para todos os alunos, que acompanharam e debateram a obra em conjunto.

– “Allegro Pero No Mucho” é um curta de animação que encerra a trilogia “A Turma da Pororoca”, criada por Cássio Tavernard, e se desenvolve a partir da investigação de uma estranha movimentação próxima ao centenário do Theatro da Paz. Na história, alguém se passa pelo Caranguejo e sua aparelhagem, o Pi Pi Piramutaba, organizando uma grande festa em seu nome para atrair todos os bichos do fundo dos rios da Amazônia. Para compor o cenário do terceiro episódio da série, cada detalhe do prédio histórico do Theatro da Paz, incluindo pintura e arquitetura, foi reproduzido fielmente.